Angelin Loro : Docentes | StudioClio - Instituto de Arte & Humanismo

Angelin Loro

Bacharel em Piano e Licenciado em Música pela UFRGS, Pós-Graduado em Educação Especial pela PUC-RS

Angelin Loro é bacharel em Piano e licenciado em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Ufrgs e Pós-Graduado em Educação Especial pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC-RS. Concilia as atividades artísticas com as de magistério.

Atuou como solista da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre - OSPA, sob a regência de Pablo Komlós, Jean Jacques Pagnot, Alfred Hülsberg, Eliazar de Carvalho, Helder Trefzger, Arlindo Teixeira, Túlio Belardi e outros.

Em 1998, foi solista da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, sob a batuta do maestro Antônio Carlos Borges Cunha. Em 1999, foi solista da Orquestra de Câmara MUSICOP de Minas Gerais. Em 2000, apresentou no "Tiyatro" (Fuar Sanat Evi), Izmir - Turquia, dois recitais pianísticos dentro do Festival Very Special Arts, executando obras de autores brasileiros. Em novembro de 2000, fez parte da Orquestra Sinfônica de Brasília, sob a regência do maestro Sílvio Barbato, na abertura do V Congresso Nacional de Arte-Educação na Escola para Todos e VI Festival de Artes Sem Barreiras. Em 2001, apresentou-se com a OSPA, regido por Ion Bressan, interpretando a "Rapsódia in Blue", de Gershwin.

Recentemente fez parte do documentário "Cegueira, uma Nova Visão", solando com a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro o concerto K414 de Mozart.

Recebeu o prêmio "Guiomar Novaes" no Concurso Nacional de Piano - PUCRS, edição 1975, pela execução do 3.º Concerto de Beethoven.

Sua experiência musical inclui regência de coros, conjuntos vocais, técnica vocal, canto, ensino de instrumentos, projetos didáticos e participação em congressos e eventos educacionais.

Entre outros mestres, foi aluno do pianista suíço Sebastian Benda, do Catedrático da Escola de Viena Bruno Seidlhofer, de Célia Ferreira Lassance da UFRGS e fez cursos com a renomada pianista Magdalena Tagliaferro.

Em 1999, passou a integrar a Comissão Brasileira de Braille, sediada em Brasília, na área da Musicografia, correspondente à simbologia gráfico-musical em tinta.

Atualmente é professor na Escola Municipal de 2.º Grau Emílio Meyer, compondo a disciplina de Educação Artística com as áreas de Desenho, Cerâmica e Teatro, nos cursos normal, médio e em Oficina de Música para a Comunidade.

Recentemente foi designado pela Coordenação do Programa Arte Sem Barreiras/FUNARTE-RJ - Ministério da Cultura, como Coordenador do Núcleo no Rio Grande do Sul, com sede na Biblioteca Pública do Estado - Secretaria de Estado da Cultura.

<< Mais docentes
Nome